Síndrome do Túnel do Carpo

A síndrome do túnel de carpo é um problema apresentado por vários ciclistas.

A Síndrome do túnel do carpo ocorre pela compressão do nervo mediano, pela inflamação dos tendões que junto com o nervo mediano, passam por um canal estreito ao nível do punho, chamado de túnel do carpo.

Sem título

Várias são as causas, algumas das causas que podem desencadear são: trabalho manual com movimentos excessivos, inadequados e repetidos, exercício físico repetitivo, quedas com a mão aberta e fraturas do punho.

No esporte, ciclistas, escaladores e tenistas são mais acometidos. Pessoas que não fazem trabalhos manuais têm associação com alterações hormonais como menopausa e gravidez (geralmente desaparece ao fim da gravidez), fato que explica haver mais mulheres acometidas do que homens. Outras doenças associadas são diabetes mellitus, artrite reumatóide, doenças da tireóide.

Dor, dormência ou fraqueza nas mãos, pela manhã e à noite, principalmente após trabalhos manuais intensivos durante o dia. A dor pode ser intensa a ponto de acordar o paciente. Ocorre diminuição da sensibilidade dos dedos, com exceção do dedo mínimo e sensação de sudorese nas mãos. A dor pode ir para o braço e até o ombro.

Atividades que promovem a flexão do punho por longo período podem aumentar a dor. Há dificuldade de realizar a flexão dos dedos, ou seja, pegar objetos. Algumas pessoas podem apresentar até dificuldade de distinguir o quente do frio.

Caso os sintomas persistam, deve-se realizar uma consulta ortopédica, onde podem ser solicitados alguns exames para confirmar o diagnóstico e indicar o tratamento. Quanto mais cedo for feito o diagnóstico e iniciado o tratamento, menores são as chances de precisar operar.

O tratamento conservador pode ser feito desde com antiinflamatórios, imobilização e fisioterapia. A maioria das pessoas responde ao tratamento conservador, sendo o tratamento cirúrgico para os casos refratários ao tratamento clínico.

Não existe medida preventiva concreta para a Síndrome do Túnel do Carpo, mas as pessoas devem evitar as tarefas prolongadas e repetitivas de flexão do punho.

Os especialistas sugerem que os alongamentos são benéficos antes e durante a atividade física e, especificamente no ciclismo, deve-se ajustar a distância do selim ao guidão e regular a inclinação e altura do selim.

A pressão prolongada dos punhos no guidão e flexão exagerada dos dedos das mãos podem levar a uma neuropatia progressiva nas mãos, por isso, alternar o posicionamento das mãos e do corpo durante a pedalada também deve ser lembrado. Essa pressão também pode ser minimizada com o uso de luvas com acolchoamento em soft gel que reduzem a pressão nos nervos mediano e ulnar.

Uma boa dica é o próprio uso do bar end. Que ajuda diversificar a pegada e melhorar até mesmo o rendimento e posicionamento em certos pontos da trilha.

Fonte: Pedal.com.br

.

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *