Por que não pedalar na contramão?

Nada melhor do que desfrutar de um belo passeio de bicicleta, chegar mais rápido e disposto ao trabalho, fazer um exercício físico que proporcione prazer. Mas para que isso seja aproveitado da melhor forma possível é necessário prestarmos atenção a vários fatores para que a diversão não se transforme em dor de cabeça.

O numero de ciclistas esta aumentando consideravelmente nos últimos tempos, basta olharmos o transito e perceberemos que os mesmos já estão inseridos. Mas não basta pegarmos a bicicleta, colocarmos os itens de segurança e sairmos por ai. É necessário prestarmos atenção e tomarmos alguns cuidados.

Um dos maiores erros que podemos fazer é andar na contramão do fluxo do transito. Alguns ciclistas tem a falsa impressão que andando contra os carros possuem maior autonomia e segurança, quando a verdade é completamente o contrario.
Se ocorrer uma colisão com um carro temos duas situações: o ciclistas a favor do fluxo da via e na contra mão. Quando ele esta a favor da via o que ocorre na maioria dos casos é o carro projetar a bicicleta ou o ciclista para a frente, tendo ferimentos menores do que atingindo de frente.

 

Andando na contramão, você acaba pegando o pedestre e o motorista de surpresa, pois na maioria das vezes, na contra mão o ciclistas sera jogado para o para-brisa do carro, a velocidade do ciclista sera somada a velocidade do automóvel, e os ferimentos serão muito mais graves.O motorista é pego de surpresa em um cruzamento, saindo de garagens, ou até mesmo quando o ciclista entra na pista. Pois ele olha para a direção que os veículos estão vindo. Com isso o tempo de reação dele é muito curto, dificultando um parada brusca ou um possível desvio.Outra situação são os pedestres. Seguindo a lógica dos motoristas, os pedestres sempre olharão para a direção que os veículos virão. Na contra mão a possibilidade de atropelar um pedestre é muito maior.É apenas uma dica para que não estrague seu passeio.

O que diz a lei

Art. 58. Nas vias urbanas e nas rurais de pista dupla, a circulação de bicicletas deverá ocorrer, quando não houver ciclovia, ciclofaixa, ou acostamento, ou quando não for possível a utilização destes, nos bordos da pista de rolamento, no mesmo sentido de circulação regulamentado para a via, com preferência sobre os veículos automotores.

Bom pedal!

.

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *